sexta-feira, novembro 6

Só para lembrar os futuros relatórios......

EFE - Agência EFE

O movimento islâmico palestino Hamas testou com sucesso foguetes que poderiam chegar à cidade de Tel Aviv, disse nesta terça-feira o Exército de Israel.

Segundo o diário Yedioth Ahronoth, o chefe da Direção de Inteligência Militar israelense, o general-de-brigada Amos Yadlin, afirmou na Comissão de Defesa e Assuntos Exteriores do Parlamento que o Hamas fez um teste bem-sucedido de um foguete, provavelmente de fabricação iraniana, com alcance de 60 quilômetros.

Yadlin não explicou, no entanto, quando e onde o Hamas teria feito o teste. Durante a operação de Israel contra Gaza em dezembro e janeiro passados, as milícias palestinas lançaram foguetes que atingiram a cidade israelense de Beersheba, a cerca de 40 quilômetros da Faixa.

Segundo o Exército, desde que a ofensiva terminou, em 18 de janeiro, as milícias palestinas lançaram cerca de 250 foguetes contra território israelense, que não deixaram vítimas.

Comentário: Milícia??? são terroristas!!!!

Relatórios e relatórios

Pois é pessoal, voltei a pstar depois de muito tempo e muitas atividades realizadas pela Hagshama Brasil.
Na verdade a ultima postagem é um link do Jerusalem Post que se renova a cada semana deixando sempre o nosso blog atualizado.
Mas desta vez queria fazer um comentário sobre os relatórios que andam surgindo por aí, e claro, sempre incriminando Israel pela ação realizada sobre Gaza.
Costumo dizer que pimenta nos olhos dos outros é refresco e acho que esse dito se encaixa bem aqui. É fácil incriminar outro quando quem sofre agressão por anos é o outro e não você.
Quem teve curiosidade de ler algum relatório repara que algumas coisas são nitidamente omitidas. Ninguem aqui é a favor da guerra mas daí a omitir fatos para incriminar somente um lado, fica difícil de aceitar.
A primeira coisa que sempre se repete é o numero de morte do lado palestino, sempre acima de 1400 mesmo os próprios palestinos (tem alguma postagem minha anterior que fala disso) já tenham dito que não passou do 600. Mortes por mortes nunca é aceitável mas se falamos em números que pelo menos se fale a verdade.
Outra coisa que é comum aos relatórios que andam por aí é a omissão do 10 anos de chuva de foguetes que o Hamas lançou de Gaza.
Os relatórios tratam o conflito de tal forma como se fosse Israel resolver ligar um video game e falar: "vamos matar palestinos hoje". Cara, cadê os mais de 10 anos de ataque do Hamas em Israel!!! sumiu? saiu andando e atravessou o sinal e foi embora? Já sei!!!! Foram tirar férias em Disney! Fala sério.....

quarta-feira, maio 27

JerusalemOnline video

'Hezbollah tem mais foguetes do que antes da guerra do Líbano'

Por Yuval Azoulay, Haaretz Correspondent

O Comandante chefe do exército de Israel, Gabi Ashkenazi disse em uma reunião no Knesset que o Hezbollah tem mais foguetes do que antes da Segunda Guerra do Líbano e isso impulsiona o poder deles no sul do Líbano antes das próximas eleições do país. "Hezbollah vem secretamente reforçando o seu poder ao sul do rio Litani, mas a presença da UNIFIL está tornanando essa tarefa mais difícil. Hoje ele tem mais foguetes e munições de longo alcance do que antes da Segunda Guerra do Líbano."
Altos militantes de Imad Mughniyeh, dizem que "Hezbollah tem sido intimidado e impedido, mas está ainda a planejando uma resposta à morte de Imad Mughniyeh. Ashkenazi advertiu que o Hezbollah ainda está procurando como se vingar do assassinato de um dos seus líderes. ". Hezbollah culpa Israel pelo assassinato, realizado em Damasco no ano passado.
O Comandante chefe do exército diz que as próximas eleições no Líbano será "uma fascinante campanha eleitoral entre um eixo radical e um moderados. Esse confronto irá determinar que direção o Líbano irá enfrentar, e é possível que cairá para os radicais.
Sobre a ameaça nuclear iraniana, Ashkenazi disse, "não existe atualmente um diálogo entre os Estados Unidos e o Iran, mas não sabemos neste momento, se o possível diálogo dará frutos. A opção de diálogo, juntamente com aplicação de sanções, é preferível em nossa ponto de vista, mas como chefe de equipe, a minha obrigação é de preparar para todas as alternativas de como lidar com este assunto, e é isso que estou fazendo. "

quinta-feira, abril 30

Hamas - Preparação para nova guerra

Bem, quando falo que ao invés de investir em saúde, educação e construir seu próprio país o Hamas prefere investir na destruição de Israel e literalmente não está nem aí para o próprio povo niguem acredita....

por Ben Tzvi Gedalyahu (IsraelNN.com)
De acordo com o staretegypage.com o governo do Hamas em Gaza está retreinando o seu exército para mudar suas táticas em preparação para o que ele acredita ser outra guerra com Israel. Iran, Hamas e Hezbollah se reuniram para achar a forma de superar suas falhas contra Israel durante a Operação contra terrorista Israelense em janeiro de 2009.

Hamas disse que a tática de seus combatentes ficarem vestidos com roupas civis foi um truque para aumentar as vítimas civis, mas Israel surpreendeu por identificar seus ataques e alerta civis a deixar áreas antes de serem bombardeadas.

O Hamas tem utilizado o cessar-fogo, declarado por Israel para pôr em avançadas armas através de novos túneis que foram construídos, mesmo que observadores internacionais serjam colocados ao longo da fronteira egípcia para parar o contrabando.

O exército do Hamas agora inclui mísseis anti-aéreos fornecidos pelo Iran, porém Israel já equipou seus aviões dispositivos para desviar desses dispositivos durante a operação em janeirode 2009, mas o recém armas contrabandeadas estão mais avançadas.

Durante a próxima guerra, o exército do Hamas permanecerá de uniforme e usarão táticas de fuga ao invés de contra atacar diretamente as tropas israelitas diz o site relatando fontes do próprio Hamas.

Por causa da última operação Israelense o Hamas demitiu 40 comandantes de suas forças. Também está desenvolvendo melhores sistemas de comunicações para proteger altos dirigentes, muitos dos quais foram alvo por parte de Israel.

Uma tática do Hamas que funcionou e será mantida é a implantação do seu exército em escolas e hospitais, que também foram usados como depósito de armas, forçando Israel atacar.

terça-feira, abril 28

Mahmoud Abbas: "Eu não aceito um Estado Judaico"

O Presidente da Autoridade Palestiniana e Fatah, Mahmoud Abbas declarou inequivocamente que não aceita o Estado judeu.
- "Eu digo isso claramente: Eu não aceito o Estado judeu ou o que você vai chamá-lo", disse ele em uma conferência preliminar no Parlamento da Juventude palestina em Ramallah. No final da conferência, Abbas foi apresentado com um grande mapa emoldurado de "Palestina", abrangendo toda a área de Israel. A foto do mapa com o sorrindente Abbas foi destaque nas página dos dois jornais diários Palestinos. Note que a palavra "Palestina" aparece no mapa em Inglês.

domingo, abril 19

Egito descobre 5 túneis de contrabando para Gaza

Ynet: AFP Publicado em: 04.18.09, 18:43 / Israel Notícias

Forças de segurança egípcias descobriram cinco túneis usados para contrabandear produtos diversos para o Hamas na Faixa de Gaza. Os túneis foram encontrados ao norte da cidade fronteiriça egípcia de Rafah, ao longo dos últimos dias. A rede de túneis que ligam a Faixa de Gaza ao Egito são utilizados para o envio de armas. Dez dias atrás, Cairo anunciou a detenção de uma célula liderada por um agente Hezbollah libanês acusado de planejar atentados no Egito, que também contrabandeava armas para Gaza.

quarta-feira, abril 1

Uma boa piada .... Lula, Israel e Palestinos

no Alef: O presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, ao discursar na abertura da “II Cúpula América do Sul-Países Árabes”, em Doha (Catar), afirmou que não é possível o mundo continuar “insensível ao sofrimento do povo palestino” e pediu que o novo governo de Israel se comprometa com o processo de paz. “Não é possível que, depois de tantos anos de negociações freqüentemente interrompidas por ações militares, não tenhamos ainda um Estado palestino coeso e economicamente viável. É importante que o novo governo de Israel se comprometa firmemente no processo de paz, com base nos acordos anteriormente alcançados”, enfatizou. Lula acrescentou: “Não faltaram aqueles que imaginaram que existia uma incompatibilidade entre o Islã e os valores da democracia, defenderam um choque de civilizações, que ignorava a contribuição incalculável da tradição de tolerância árabe”.
Acho que vou fazer dois comentários.
o Primeiro: hahahahahahahah hahahahahahhahaha - quase caí pra trás de tanto rir - hahaha - acoisa é tragicômica.
a Segunda: Vamosanalisar os trechos em negrito:
primeiro trecho: “Não é possível que, depois de tantos anos de negociações freqüentemente interrompidas por ações militares...." - Deixa eu entender, o processo é interrompido pela ação LEGÍTIMA militar de Israel com objetivo de defender sua soberania e não por conta de mísseis lançados anos pelo Hamas em Israel, nem por uma chuva demísseis vindo do libano, lançados pelo Hizbollah, menos ainda pelos atentados. Agora entendi porque a segurança no Brasil está jogada as moscas. Se defender é crime e a causa de qualquer conflito.... "Tamo" f...
segundo trecho: “Não faltaram aqueles que imaginaram que existia uma incompatibilidade entre o Islã e os valores da democracia..." - Porque será senhor presidente? Seria porque não há nenhum país árabe democrático? ou porque as piores ditaduras estão sob domínio árabe e/ou simpatizantes?
terceiro trecho: "...contribuição incalculável da tradição de tolerância árabe”. - Não falando dos árabes como pessoas brasileiras mas analisando os países....... Vemos exemplos da contribuição incalculável de tolerância. Vamos citar algumas: Timor leste é um lugar onde este exemplo de tolerância é bem vista. A tolerância é tanta que foi preciso enviar forças de paz da ONU para resolver o assunto. Este belo exemplo de tolerância se segue em vários países africanos, asiáticos e europeus, citando exemplos temos: Angola, Sudão, o conflito na Bósnia (decada de 90), Índia e por aí vai. Aliás no Sudão a tolerância exemplar já causou 400.000 mortos e mais de 2.000.000 de desabrigados e refugiados.
Outro grande exemplo de tolerância é a quantidade de atentados realizados por frente islâmicas.
Mas vamos falar mais precisamente de países árabes e seus exemplos de tolerância: Tem países que é proibido escutar musica em público, beber bebida alcoolica, muleres tem que andar de um lado da rua diferente dos homens e de preferência cobertas da ponta do pé até o último fio da cabeça, homossexual é pena de morte ou espancamento, eleição só se for para líder de classe na escola e olhe lá. Judeu ou Israelense ou qualquer pessoa que tenha visitado Israel e esteja marcado no passapaorte não entra em alguns países árabes.
Sr. presidente, acho que isso é uma belíssima contribuição incalculável da tradição de tolerância árabe.
Agora vocês entendem o meu primeiro comentário.......

domingo, março 29

O que a mídia não vê.....porque não quer

Durante muito tempo o Hamas negou que havia sequestrado o soldado Gilad Shalit. Diziam até que não estavam com ele.
Pois bem, a mídia sempre se manteve nula neste assunto. Até então me perguntava o porque desta atitude da mídia. Mas esta foto me respondeu a questão. A resposta é simples. A foto comprova que a verdade está estampada nas ruas, em banners, cartazes e fotos,ou seja, a mídia simplesmente se faz de desentendida e finge que não vê.

Na foto terrorista do Hamas segura quadro de Gilad Shalit com uma imagem do soldados sequestrado, acuado e vendado, de pano de fundo.
Resumo:
Gilad Shalit foi sequestrado em 2006, dentro do território Israelense, em um ato contra a soberania do Estado de Israel.

segunda-feira, março 16

Hamas usa mesquitas para fins políticos e militares

De acordo com as leis internacionais que regem conflitos armados, mesquitas usadas para fins militares perdem a proteção especial conferida a casas de culto e podem se tornar alvos legítimos de ataque. Relatório do Centro de Inteligência, Terrorismo e informação e do Centro de inteligência e patrimônio de Israel

1. A Operação israelense em Gaza ilustrou variadas utilizações militares das mesquitas realizadas pelo Hamas na Faixa de Gaza. Durante a operação provas sobre o armazenamento de armas foram encontradas em mesquitas e sobre como utilizar as mesquitas para treino militar e como uma base da qual eram lançados foguetes sobre Israel e tropas israelenses nas proximidades. (Foram encontrados foguetes, morteiros, material explosivo, armas leves e até mesmo uma arma anti-aérea).

2. A extensa utilização da mesquitas por organizações terroristas e grupos islâmicos radicais para fins militares, terrorismo e política não se limita aos efeitos da Faixa de Gaza. Este estudo analisa também para usos semelhantes feitos pelo Hamas na Judéia e Samaria, o Hezbollah no sul do Líbano, e a jihad global e de outros grupos islâmicos radicais em vários países ao redor do mundo árabe-muçulmano (pontos focais em conflito como o Iraque e o Paquistão) e mesmo nas comunidades muçulmanas na Europa. Em muitos locais, tanto no Oriente Médio e para além dela, as organizações terroristas islâmicas radicais exploram as mesquitas para esconder armas, em preparação para ataques, recrutar adeptos terroristas e militantes, pregam o terrorismo e doutrinam os muçulmanos que chegam à adoração com ódio a Israel, os judeus, o Ocidente em geral e os Estados Unidos em particular, bem como para os regimes árabes pró-ocidentais.

3. O estudo analisa também as raízes religiosas e sociais do uso de forças militares e mesquitas para fins políticos. Clérigos islâmicos, tanto sunita e xiita (em especial, o xeque Yussuf Qardawi sunita e xiita do aiatolá Khamenei), afirmam repetidamente que a utilização de tais as mesquitas para a jihad é legítima, de acordo com objetivos Islâmicos. Eles também incentivam a sua utilização para espalhar a ideologia jihadista e o terrorismo (muqawamah, ou seja, "resistência") contra os inimigos do Islã. Suas opiniões são religiosas islâmicas baseadas na tradição oral (hadiths) que dizem que o próprio profeta Muhammad utilizou uma mesquita para fins políticos e militares, além do uso clássico da mesquita como casa de culto.

4. A utilização feita por organizações terroristas das mesquitas para fins militares e, como bases para lançar ataques terroristas é suscetível de pôr em perigo civis inocentes que não têm nenhuma ligação com as organizações. Ela prejudica o estatuto e a proteção especial conferida a casas de culto por leis internacionais de luta armada, bem como a proteção de civis e da população em geral. As leis dos conflitos armados diz que casas de culto utilizadas para fins militares perdem o seu direito de proteção e, portanto, expõem-se para ataques. Hamas e os grupos terroristas islâmicos afirmam que atacar mesquitas (apesar de serem colocadas para fins militares e terroristas) é ilegal e constitui uma violação da liberdade de culto. As medidas tomadas pela IDF na Faixa de Gaza contra mesquitas usadas para fins militares, bem como as tomadas por outros países, incluindo, por exemplo, os Estados Unidos no Iraque, estavam em conformidade com o direito internacional e surgiu a partir do empenho natural de qualquer Estado poder defender os seus cidadãos.

5. A luta legítima contra o uso militar e político das mesquitas por organizações terroristas e radicais islâmicos foi travada em várias formas: durante a operação israelense na Faixa de Gaza, o IDF atacaram mesquitas utilizados para estes fins pelo Hamas, no Iraque, o Estados Unidos atacaram mesquitas em Fallujah e outras cidades, porque elas estavam sendo usadas como bases militares pelos insurgentes e outros grupos terroristas, na Judéia e Samaria Autoridades Palestinas invadiram mesquitas controladas pelo Hamas e confiscaram armas e materiais de propaganda, e os clérigos foram detidos; no Paquistão o regime foi forçado a assumir toda a delegacia da Mesquita Vermelha em Islamabad, onde radicais islâmicos foram detidos por atividades de grupos terroristas, que associada à jihad global lançou os seus ataques.

6. Países árabes como a Arábia Saudita têm sido forçados a impor uma rígida vigilância sobre a segurança das mesquitas, que são o lar da jihad global e grupos cujas atividades também são dirigidas contra os países de origem. (o xeque da mesquita Al-Azhar, Muhammad Al-Tantawi, que é um altos autoridade religiosa sunita no mundo muçulmano, determinou que um país tem o pleno direito de atacar uma mesquita para preservar seus interesses de segurança). Além disso, os países europeus (especialmente Inglaterra) e os Estados Unidos também foram obrigados a impor uma rígida supervisão de segurança em mesquitas, que se tornaram pontos focais para a jihad global e incitação de atividades terroristas, especialmente após 11 de setembro de 2001.

7. A exploração dos terroristas islâmicos radicais das mesquitas para fins militares e políticos podem continuar. A luta contra essa exploração se possui várias dificuldades, sobretudo porque em muitos lugares as organizações terroristas islâmicas desfrutam de grande popularidade. No entanto, a luta deve continuar de varias formas como parte integrante da guerra global contra o terrorismo e as suas diversas manifestações.


veja relatório completo e com fotos em:

terça-feira, março 10

Mais foguetes de Gaza

Shmulik Hadad - Publicado em: 03.10.09, 07:50 / Israel Notícias
Dois foguetes Qassams foram disparados, segunda feira de manhã, contra o oeste Negev, em Israel.
Um foguete atingiu uma área aberta na Região de Sdot Negev sem causar ferimentos ou danos.
O segundo foguete atingiu uma área aberta ao sul de Ashkelon, atingindo a cerca de limite de um Kibutz . Não houve feridos.

domingo, março 8

Charge estilo South Park sobre democracia árabe

Como destruir uma nação árabe. Essa é muito boa. O pior é que foi exatamente o que aconteceu entre o Hamas e o Fatah.

Tentaram mas não conseguiram

Bem gente,
parece que tentaram, e haviam conseguido, retirar do ar o meu video do fuzilamento. Como ele era "linkado" do youtube direto não dava para fazer nada. Mas eis que não esperavam e eu tinha ele salvo aqui no meu PC. Então, aí vai o video de novo!!
Avisando que tem cenas impróprias para menores e cenas fortes para aquelas pessoas mais sensíveis.


segunda-feira, março 2

Hamas lança Foguetes Grad "melhorados"

Enquanto Brasil está no Enterro dos Ossos do Carnaval, em Israel, perto da Faixa de Gaza, os mísseis lançados pelo Hamas sontinuam caindo
Somente alvos civis e o impressionante que mesmo caindo em escolas e hospitais a mídia continua não dando bola. Isso só acontece se o alvo for uma plataforma de lançamento do Hamas dentro de um local civil e claro seria noticiado sem o fato da haver ali uma plataforma de lançamento. Aliás, melhor, a plataforma viraria "suposta plataforma".

Bem, vamos a notícia: (IsraelNN.com)

Um foguete Grad "melhorado" atingiu uma escola em Ashkelon sábado de manhã, fazendo Israel lembrar dos dias anteriores a operação militar. Os foguetes causaram sérios prejuízos e obrigou a internação de várias pessoas com traumas. O míssil foi mais poderoso do que os modelos anteriores e atingiu uma escola furando as fortificações destinadas a proteger os estudantes e professores de um ataque. A escola estava fechada por causa do sábado (shabat), evitando uma tragédia, e os funcionários cancelaram as aulas de domingo.




Comunicado do Gabinete de Israel


(Comunicado pelo Secretariado de Gabinete)


Na reunião semanal Gabinete hoje (domingo), 1 de Março de 2009:

1. Primeiro-Ministro Ehud Olmert discutiu a situação da segurança nas comunidades, no Sul e fez as seguintes observações:


"Onze foguetes foram disparados em nossas comunidades no sul do país durante o fim de semana. As organizações terroristas na Faixa de Gaza, lideradas pelo Hamas, estão tentando se recuperar, após o duro golpe militar que tomou durante a Operação de Israel, e fazem-no na única maneira que sabem - o terrorismo. Em 18 de Janeiro de 2009, Israel unilateralmente decidiu cessar fogo; tomámos em conta a possibilidade de que disparos por organizações terroristas podiam ser retomados. Relativamente a esta possibilidade, o governo formulou uma política inequívoca, que o Gabinete aprovou por unanimidade, no sentido de que se os disparos da Faixa de Gaza continuarem, seriam respondidos por uma dolorosa, afiada, forte e firme resposta das forças de segurança, liderada pela IDF. Esta foi a decisão e vai ser implementada até as organizações terroristas compreenderem que esta (disparos de Gaza sobre território israelense) é uma ação que o Estado de Israel não pode de forma alguma aceitar.

O Estado de Israel tem uma vasta gama de opções que serão utilizadas a fim de trazer calma completa para o sul. "

Domingo - 6 Qassams atingem a região do Negev. Ao total foram 11 disparos de Gaza contra Israel durante o fim de semana

Shmulik Hadad 01.03.09 Israel Notícias

Um foguete caiu em uma casa em Sderót e outros cinco em áreas abertas do Negev causando poucos danos.
Um foguete Qassam atingiu, domingo à noite, o pátio de uma casa em Sderot. Felizmente, por causa das recentes chuvas o foguete caiu na lama causando apenas pequenos danos à casa. Como ninguém estava na casa no momento não foram relatados feridos.
Depois mais dois foguetes Qassam atingiram áreas abertas na região do Conselho Regional Sdot Negev, e outro caiu, tambem em áreas aertas, na região do Conselho Regional de Eshkol. Não foram relatados danos ou feridos nos ataques.
O alerta Vermelho interrompeu em Sderot o Prefeito David Buskila enquanto ele homenageava uma turma de basquete após um jogo na zona sul da cidade.
Pouco depois do primeiro ataque a Sderot, outro foguete Qassam caiu em um espaço aberto na região do Conselho Regional do Negev. Não foram relatados danos ou prejuízos.
Um terceiro foguete disparado de Gaza às 10:20 também caiu em uma área aberta no Conselho Regional Sdot Negev, e um quarto caiu em um espaço aberto no Conselho Regional Eshkol. Não houve relatos de ferimentos ou danos nestes ataques.
Alguns minutos mais tarde, mais dois foguetes acertaram em espaços abertos do Conselho Regional do Negev Sdot mas não causou danos ou prejuízos.
Desde o final da operação em Gaza mais de 70 foguetes e morteiros foram disparados contra o Negev e Ashkelon.
Domingo um foguete Qassam atingiu entre o Shaar Hanegev e a costa de Ashkelon. Não foram relatados danos ou prejuízos.

terça-feira, fevereiro 10

Anistia acusa Hamas de eliminar adversários

AFP Publicado em: 02.10.09, 15:29 / Israel Notícias

“Forças do grupo islâmico em Gaza sequestram, assassinam, torturam até morte e ameaçam aqueles aqueles que acusam de colaborar com Israel”, diz grupo de direitos humanos
Anistia Internacional na terça-feira acusa Hamas de fazer uma campanha para matar ou mutilar os adversários palestinos na Faixa de Gaza desde o final de dezembro.
O grupo de direitos humanos afirmou num relatório que pelo menos duas dezenas de homens foram mortos por tiros de pistoleiros do Hamas desde 27 dezembro.

segunda-feira, fevereiro 9

Hamas quer atrapalhar as eleições em Israel

Associated Press Publicado em: 02.09.09, 14:08 / Israel Notícias
O ministro dos Negócios Estrangeiros palestino do Hamas foi acusado na segunda-feira de tentar influenciar o resultado desta semana nas eleições israelenses. Riad Malki disse que "Hamas quer instabilidade na região" e sugeriu que foguetes continuassem a ser lançados a partir de Gaza como "uma maneira de interferir" na votação israelense.
Israel e Hamas anunciaram uma trégua informal, em 18 janeiro, mas dois foguetes atingiram o sul de Israel no domingo.
Malki disse que a Autoridade Palestina - que está em contradição com o Hamas - está "muito preocupada" que tais ataques possam "realmente empurrar a opinião pública israelense a votar a favor de um governo mais duro."

sexta-feira, fevereiro 6

ONU investiga Hamas por utilizar crianças como escudos humanos

(por Jerusalem Post)
As Nações Unidas está pronta para investigar o uso de crianças como escudos humanos pelo Hamas, durante a ofensiva de Israel em Gaza.
A representante especial da ONU para crianças em conflitos armados, Radhika Coomaraswamy, disse ao Jerusalem Post, em uma entrevista exclusiva, nesta quinta-feira que:
"Nós ainda não tratamos diretamente a questão de escudos humanos, mas vamos agora falar em nossos nossos relatórios".
"É ainda muito difícil para nós dizer o que realmente estava acontecendo e que precisamos ainda de realizar um inquérito completo sobre o assunto ... mas nós não estamos negando que aconteceu. É absolutamente possível que o Hamas usou seus civis como escudos humanos ", disse ela.
No entanto, Coomaraswamy afirmou que a política da ONU a não tratar com os principais membros do governo do Hamas - uma vez que é oficialmente considerado uma organização terrorista – prejudica todos os tipos de trabalho de ajuda humanitária na Faixa de Gaza.
"Faz todo o nosso trabalho humanitário muito difícil porque não podemos reunir com Hamas a nível político", afirmou Coomaraswamy, que esta semana se reuniu com altos funcionários israelenses e Autoridade Palestininas, incluindo o Primeiro-ministro Salam Fayad (AP), bem como com muitas crianças, em Gaza e Ashkelon para ouvir sobre o conflito a partir de um ângulo mais pessoal.
Coomaraswamy foi nomeada para a sua posição faz três anos e reporta diretamente ao Secretário Geral das Nações Unidas Ban Ki-moon.

Soldados Israelenses interceptam palestino com granada

(por Ynet)
O exército de Israel impediu o ataque de um palestino que se aproximou da fronteira sul da Gaza, e puxou uma granada.
O exército afirmou que os soldados dispararam tiros de aviso mas ele continuou sua abordagem, até que os soldados foram forçados a atirar nele. Ele foi morto pela explosão da granada.
Na semana passada, um soldado foi morto e outro ficou gravemente ferido após uma explosão perto da fronteira.
Na terça-feira a força aérea bombardeou vários alvos em Gaza, em resposta a um ataque de foguetes Grad Ashkelon. Uma série de túneis e contrabando por veículos foi atingido em Rafah, bem como postos avançados do Hamas em Beit Lahiya e Khan Younis.
E enquanto o Hamas apronta, a mídia........cadê? Sumiu!

quinta-feira, fevereiro 5

Barco de carga tenta entrar ilegalmente em Gaza

(Fonte: MFA/IDF Spokesperson)
Esta manhã, quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009, um navio da marinha israelense interceptou, e assumiu o controle do barco de carga chamado "Tali" com a bandeira do Togo e que estava tentando entrar ilegalmente na Faixa de Gaza.
O barco de carga saiu do porto de Trípoli-Líbano há alguns dias, ancorou no Chipre e depois continuou sua viagem para a Faixa de Gaza. Durante a viagem, o barco de carga foi contactado por Israel, esclarecendo que não seria permitida a entrada em águas costeiras de Gaza, porque havia riscos de segurança na área e o bloqueio naval.
Com início ontem à noite, a Marinha Israel tem feito contato direto com o barco e continuou a esclarecer que o navio não seria autorizado a entrar na Faixa de Gaza. A tripulação do declarou as suas intenções de alterar seu destino para o porto de El-Arish, no Egito.
Durante a manhã de hoje, o navio de carga mudou seu rumo, e começou a viagem para a Faixa de Gaza, ao contrário das alegações feitas pela tripulação do barco na noite anterior.
Ignorando todos os avisos, o barco entrou em Gaza. As ações da tripulação deste barco levantaram suspeitas, já que poderiam ameaçar a preocupações de segurança, ou ainda, o barco poderia ser utilizado para o contrabando proibido de equipamentos (armas, etc).
Como resultado das ações tomadas pela tripulação do barco, uma embarcação da marinha de Israel interceptou e assumiu o controle do braco de carga, conduzindo ele para Ashdod, Israel. Nenhum tiro foi disparado a bordo ou durante o embarque e captação da carga. A tripulação do barco foram detidos para interrogatório pela polícia israelense.Qualquer bem encontrado ou ajuda humanitária será transferido para a Faixa de Gaza.
O serviço de porta-voz do exército de Israel gostaria de enfatizar que qualquer organização ou país que deseja transferir ajuda humanitária à Faixa de Gaza, pode fazê-lo através das passagens estabelecida por Israel, com a coordenação prévia.
Nota: A verdadeira motivação da viagem do navio pode ser suspeita pelo fato de não apenas um número de jornalistas serem convidados a participar, mas também a bordo estava Hilarion Cappuci - um antigo bispo grego católico, que foi preso em 1974, contrabandeando armas para terroristas palestinos, no porta-malas do seu veículo oficial da Igreja, enquanto entrava em Israel pelo Líbano.

quarta-feira, fevereiro 4

Ataque a escola da ONU foi uma farsa do Hamas

Por Reinaldo Azevedo, colunista da revista “Veja”

A ONU foi obrigada a admitir a verdade. Quase um mês depois.Cadê as manchetes?
A notícia não está em nenhum dos jornais brasileiros ou nos grandes sites noticiosos. Lembram-se aquele ataque das Forças de Defesa de Israel a uma escola da ONU, que matou 43 pessoas? Pois é. Não foi em uma escola da ONU coisa nenhuma, o que os israelenses vinham dizendo desde o dia 06 de janeiro. Só na segunda-feira (dia 02 de fevereiro), quase um mês depois, Mawell Gaylord, coordenador de ações humanitárias da ONU em Jerusalém, admite a verdade: o morteiro foi lançado em uma rua perto da escola, mas não contra a escola.
Ora, recuperem o noticiário dos jornais e sites do Brasil e do mundo naquele dia 06. Lembro-me de ter aqui ironizado que os israelenses, maus como pica-paus, não podiam ver uma escola da ONU que iam logo jogando morteiros. Talvez para se livrar do tédio, não é? Ah, acusaram-me de insensível facinoroso. Marcelo Coelho, da Folha de São Paulo, sugeriu no jornal e no seu blog que tenho certa simpatia pelo assassinato em massa de crianças... Mais: como eu alertasse aqui para o óbvio — o Hamas é a fonte das notícias —, fui acusado de realismo estúpido. Coelho chegou a indagar algo como: “Para que jornalismo se já existem os militares?” Ou coisa assim. Chegou a minha vez de indagar: para que coelho se já existe o Hamas? O jornalismo dele, não sei para que serve. O meu existe, entre outras razões, para que os freqüentadores deste blog possam ler com mais acuidade o que é noticiado na imprensa.
Não se espante, leitor, se, naquele episódio, não tiverem morrido as 43 pessoas anunciadas. Todas, rigorosamente todas as ditas “atrocidades” cometidas por Israel têm origem no, como direi?, Departamento de Propaganda do Hamas: do grande número de crianças e civis mortos ao uso de bombas de fragmentação e fósforo branco para atacar pessoas. Este segundo caso, então, pode dar pano para manga. A tal substância não é considerada arma química. É empregada para iluminar alvos noturnos e criar cortina de fumaça para ação da infantaria. Israel nega que tenha feito qualquer coisa fora das leis internacionais. Como negava que tivesse jogado morteiro numa escola da ONU — e falava a verdade. De todo modo, abriu-se uma investigação.Como se vê, o Hamas faz direitinho o seu trabalho. O ataque mentiroso à escola foi manchete do mundo inteiro. O desmentido, até agora, está apenas no Haaretz. O mundo também não se interessou em manchetar as torturas e execuções sumárias que se seguiram à retirada de Israel de Gaza. A imprensa ocidental se deixou seqüestrar pela lógica terrorista. Esse caso da escola merece a justa designação: escândalo. Quer dizer que os homens da ONU em Gaza demoraram um mês para fazer o que poderiam ter sido feito em cinco minutos? Escrevi aqui, certa feita, que o principal inimigo de Israel no Oriente Médio é a organização. Foi uma gritaria. Eis aí. Bem, esperar o quê? O principal representante das Nações Unidas em Gaza é um sujeito que acredita que os próprios EUA tramaram o 11 de setembro... Pois é, leitores. Como diria aquele, quando já temos o terrorismo e a ONU, pra que certo jornalismo, não é mesmo?

Polícia usa força desproporcional e 5 pessoas são feridas em Paraisópolis.

O ataque da polícia de São Paulo foi para impedir um protesto da população local contra o brutal assassinato de um trabalhador que havia pego um carro emprestado por tempo indeterminado e ao ser abordado pela polícia se defendeu atirando com sua arma contra os policiais.
Tamanha a desproporcionalidade se deve ao uso de carros blindados, balas de borracha, homens com coletes a prova de balas e escudos contra uma população utilizando apenas pedras inofensivas.
O resultado do confronto foi desastroso. Carros queimados, lojas destruídas e muito pânico entre os moradores. A polícia irá ocupar o local até que a calma retorne.

Legenda: Policiais e os carros queimados



Agora a grande pergunta. O que tem essa notícia com o conflito Hamas x Israel?
Pensem, e num próximo post eu coloco a resposta. Mas vai uma dica: manipulação, troca de passivos e ativos........

terça-feira, janeiro 27

Hamas ataca o Sul e tropas de Israel retornam a Gaza

por Ben Tzvi Gedalyahu
O governo de Israel autorizou o exército de defesa a enviar tropas terrestres para o centro de Gaza, após a explosão de um foguete e uma granada que matou um soldado e feriu outros três, sendo um em estado grave.
Hamas advertiu que não concorda com uma trégua e que o cessar fogo anúnciado por Israel está dependente da re-abertura das passagnes a Gaza.
"Este é um grave atentado", disse o ministro da Defesa, Ehud Barak, durante uma visita a soldados próximos a uma base perto do local do ataque. "Nós não podemos aceitá-lo e vamos retaliar."
Por: IsraelNN.com

segunda-feira, janeiro 26

"Foi o Hamas e não Israel o motivo das ambulâncias não chegarem às vítimas".

A mídia estrangeira e funcionários do Hamas em Gaza falaram várias vezes durante a guerra que Israel impediu as ambulâncias de chegarem e causando a morte de vítimas, mas Shriteh Mohammed, um motorista de ambulância de 30 anos da Sociedade do Crescente Vermelho da Palestina (equivalente a cruz vermelha), disse ao jornal australiano, Sydney Morning Herald, segunda-feira, que o exército de Israel trabalhou em conjunto com o Crescente Vermelho.
"Foi o Hamas e não Israel o motivo das ambulâncias não chegarem às vítimas". Ele disse que os terroristas do Hamas tentaram roubar uma frota inteira de ambulâncias durante o conflito.
"Eles baixaram as armas e me ordenaram tirá-los para fora para colocá-los na ambulância. Eu recusei, porque, se o exército de Israel me ve fazer isto, estou acabado.... E então, um dos terroristas pegou uma arma e a colocou em minha cabeça e eu ainda recusei e então eles me permitiram sair."
O vídeo você pode ver em um post mais abaixo, do dia 21 de janeiro, onde mostro o que o Hamas faz com as ambulâncias. clique aqui e vá direto ao post

"Hamas tem uma enorme responsabilidade com o que aconteceu aqui em Gaza"

Durante visita a faixa de Gaza, Louis Michel diz que grupo islamico agiu como "um movimento terrorista" e "tem uma enorme responsabilidade com o que aconteceu em Gaza".
Ele se juntou as críticas israelenses de que o Hamas usou civis como "escudos humanos" pelos combates em áreas povoadas e, descreveu o lançamento de foguetes pelo Hamas contra Israel como uma "provocação".
Associated Press - 01.26.09, 17:23

domingo, janeiro 25

Vítimas cenográficas

Um médico do Hospital de Shifa na Cidade de Gaza contesta o número de palestinos que dizem terem sido mortos durante a campanha. "É possível que o número de mortos em Gaza seja de 500 ou no máximo de 600, principalmente de jovens entre as idades de 17 a 23 anos e que foram recrutados pelo Hamas - que os enviaram para as suas mortes" ele afirmou.
O “morto vivo”, assinalado na foto, se prepara para “ morrer” diante dos fotógrafos.

O médico de Gaza também foi citado por afirmar: "Talvez fosse como o de Jenin em 2002. No começo eles falaram de aproximadamente 1.500 mortos e na realidade foram 54 – dos quais 45 eram militantes". Ele se referia a batalha do IDF contra as forças palestinas na Cisjordânia que ocorreram na Operação “Defensive Shield” ocorrida no auge da segunda intifada. O Comandante do IDF da Divisão de Gaza na quinta-feira chamou de ‘monstruosa’ e ‘desumana’ a utilização pelo Hamas de mulheres e crianças durante a ofensiva em Gaza. O Brig. Gen. Eyal Eisenberg informou que civis foram utilizados pelo Hamas para transportarem armas aos combatentes durante a ofensiva. Ele também acusou o grupo militante islâmico de colocarem armadilhas com bombas em muitas das casas dos civis. "Famílias inteiras em Gaza viveram em cima de pilhas de explosivos durante meses sem saber" Eisenberg disse. O oficial afirmou que apesar de conclamações internacionais para investigações sobre supostos crimes de guerra, os soldados das Forças de Defesa de Israel - IDF sempre se conduziram dentro dos princípios morais durante as lutas em Gaza.

sexta-feira, janeiro 23

Número de mortos é falso!!!

Médico em Gaza: número de mortes não ultrapassou 600
O jornal italiano “Corriere de la Sera” entrevistou um médico do Hospital Shifa, da cidade de Gaza, que revelou que os mortos não passam da metade do que foi divulgado pela imprensa internacional. O médico afirmou: “Os mortos não passam de 500 a 600, a maioria jovens de 17 a 23 anos que foram recrutados pelo grupo terrorista Hamas”.

quarta-feira, janeiro 21

Ambulância da Cruz Vermelha servindo de transporte para terroristas do Hamas

Esse vídeo não é novo mas se insere no contexto pois é uma constante dentro de Gaza. As ambulâncias e carros da ONU sejam eles para fins de socorro a população ao ajuda humanitária prestam alguns serviços adicionais ao Hamas.

Enquanto o Hamas ataca, todos se calam.

Preferi dar uma olhada nos telejornais antes de postar. Claro que o meu pensamento era de comprovar que o fato a ser noticiado abaixo não iria aparecer.

o Hamas continuou lançando ataques hoje contra cidades no sul de Israel e forças do exército que estão saindo da Faixa de Gaza.
Enquanto todas as câmeras do mundo se viraram para os Estados Unidos, o exército de Israel saia da Faixa de Gaza na esperança de que o Hamas respeitaria o cessar fogo decretado no início da semana.
Segundo o Ynet, o Hamas lançou hoje 8 morteiros em direção ao território israelense e abriu fogo em duas ocasiões.

Lembra do prédio de imprensa da ONU? Aquele que diziam que era um alvo errado e que naõ tinha nada lá?

O vídeo abaixo mostra a apresentadora da TV Al-Arabiya, Hanan Al-Masri, que não sabia que estava sendo filmada. Ela conta ao telefone que um míssil acabou de ser lançado pelo Hamas do prédio da imprensa onde ela está localizada, na Faixa de Gaza. Este vídeo comprova a versão do exército israelense que atacou o mesmo prédio da imprensa afirmando que foram terroristas do Hamas que estavam lançando mísseis contra civis israelenses e atacando suas forças de lá. A imprensa criticou severamente o exército de Israel por este ataque... Agora, podemos ver como o Hamas coloca a vida da população palestina em risco lançando ataques de regiões residenciais, escolas, mesquitas, hospitais e também prédios da imprensa, usando-os como escudos-humanos. (fonte haaret)

sábado, janeiro 17

Hamas em suas próprias palavras

Prezados leitores,
abaixo vemos um vídeo sobre o Hamas. É um video auto descritivo de um grupo que tem por grande finalidade a destruição de Israel.

quinta-feira, janeiro 15

Assine a petição para as Nações Unidas

Para: Nações UnidasCaros membros das Nações Unidas,Pediram para vocês fazerem uma resolução condenando a ação de Israel. Se esta resolução passar, vocês estarão condendo o direito de todos os países de viver em paz e proteger seus cidadãos e fronteiras contra ataques terroristas. Desde o estabelecimento de Israel, o país está sob ataque daqueles que querem destruí-lo. Bombas colocadas em casas e ônibus, homens-bomba suicidas matando crianças, mulheres, homens, tanto judeus como árabes sem discriminação, tudo isso acontecendo há anos, mas o mundo continua silencioso. Nos últimos 8 anos, mísseis estão explodindo no sul de Israel, matando civis e destruindo propriedades. Finalmente, Israel decidiu que "Basta!" e decidiu parar a organização terrorista Hamas de causar mais danos. E o mundo explodiu com acusações, o mesmo mundo que ficou quieto quando terroristas tentaram fazer o pior deles para destruir o Estado de Israel. Por favor entendam, que Israel quer a paz, a guerra não é o jeito judaico. Nós queremos criar nossas crianças, ir para o trabalho, ir para escolas e ter certeza que quando nossas crianças sairem da escola, ele ou ela irá voltar para casa.Caros membros das Nações Unidas, por favor apoie os esforços de Israel para parar os ataques terroristas em sua terra e contra seu povo. Por favor avisem o Hamas, Hezbolá e outros como eles que vocês não serão coniventes com os crimes que eles estão cometendo.Sineceramente,Os abaixo-assinados

Para assinar acesse http://www.petitiononline.com/Israel09/ e clique no botão "Click Here to Sign Petition". No primeiro campo inclua seu nome, no segundo campo seu email e opcionalmente inclua comentários no terceiro campo. Clique no botão "Preview Your Signature" e depois clique no botão "Approve Signature".

quarta-feira, janeiro 14

"Pausa" para ajuda humanitária (blog bolgando de israel)

Já há uma semana há uma pausa diária de 3 horas dos combates para assistência humanitária. Ambos os lados - exército de Israel e terroristas do Hamas - devem cessar toda atividade enquanto mantimentos, comida e demais chegam a Gaza e são destribuidos.
Dia 13/01/2009 - Terça-Feira Pausa entre 09:00 e 12:00
09:33 - Um foguete Kassam cai em um campo aberto no conselho regional Eshkol. Não há feridos.
10:07 - Outro foguete Kassam cai em um campo aberto no conselho regional Eshkol.
11:25 - Foguete Kassam cai na região de Eshkol. Não há feridos.
Dia 12/01/2009 - Segunda-Feira Pausa entre 10:00 e 13:00
11:47 - Um foguete atinge diretamente uma casa em Ashkelon. Algumas pessoas ficam em estado de choque.
11:49 - Um foguete cai em um campo aberto na região de Ofakim. Não há feridos.
12:48 - Alguns mísseis caem em campos abertos em volta de Beer Sheva.
13:00 - Quatro mísseis caem na região de Sderot. Um deles atinge em cheio uma casa. No local 6 pessoas ficam em estado de choque.

Dia 11/01/2009 - Domingo Pausa entre 11:00 e 14:00
11:12 - Um foguete cai na região de Netivot. Não há feridos.
11:31 - Um foguete lançado de Gaza cai em território palestino.
12:04 - Um foguete cai em um campo aberto na região de Ashkelon. Não há feridos.
12:26 - Um foguete cai em um campo aberto no conselho regional Eshkol. Não há feridos.
12:53 - Três foguetes caem na região do conselho regional Eshkol e um na região de Kiriat Malachi.
13:12 - Um foguete cai no quintal de uma casa em Sderot. No local algumas pessoas ficam em estado de choque.

Dia 10/01/2009 - Sábado Pausa entre 13:00 e 16:00
13:05 - Um foguete cai no conselho regional Eshkol. Não há feridos.
14:23 - Um foguete cai na região do conselho regional Chof Ashkelon. Não há feridos.
15:09 - Um foguete cai no conselho regional Eshkol. Não há feridos.
Dia 09/01/2009 - Sexta-Feira Pausa entre 12:00 e 15:00
12:10 - Um foguete cai em um campo aberto em Ashdod. No local algumas pessoas ficam em estado de choque. Um outro foguete cai em Ashkelon.
13:02 - Um outro foguete cai na região de Ashdod. Não há feridos.
Dia 08/01/2009 - Quinta-Feira Pausa entre 13:00 e 16:00
13:06 - Dois feridos em estado médio e dois em estado leve em consequência da queda de um foguete em um edifício em um Kibutz no conselho regional Eshkol. Ao mesmo tempo, cai um foguete no conselho regional Shaar Hanegev, não há feridos.
14:10 - Alarme em Ofakim, cai um foguete em um campo aberto na região de Ashkelon.
14:50 - Dois foguetes cairam em campos abertos no conselho regional Eshkol.
Já deu pra entender, não? Eu só listei o que aconteceu durante a "pausa" humanitária, antes e depois tem muito mais coisa...

A Democracia do Hamas

Fiquei muito na dúvida se colocava esse vídeo, tamanha a brutalidade da cena. Mas depois de alguns comentários que diziam que o Hamas era o defensor palestino e que era democrático, resolvi postar. É um fuzilamento feito pelo Hamas de pessoas que vão contra a sua ideologia.
CENAS IMPRÓRPIAS DO TERROR DO HAMAS DENTRO DE GAZA! SE VOCÊ NÃO AGUENTA NÃO VEJA.

Pois é....

QUARTA-FEIRA, JANEIRO 7

O jornal Haaretz, noticiou em Israel, que os militantes do Hamas confiscaram pelo menos 10 caminhões de ajuda humanitária. Dizem que o próprio Hamas deseja uma crise humanitária para sua população, a fim de que eles tenham uma melhor exposição na mídia.

terça-feira, janeiro 13

segunda-feira, janeiro 12

Mais pois é......

Recentemente, relatos vindos de Gaza, falam que o Hamas confisca os donativos humanitário, principalmente farinha, e os vendem por preços exorbitantes a população.

Em 11 de janeiro de 2009, um fórum de internet do Hamas, um participante se queixou do confisco das doações de farinha em Dir-al'Balech pelo Hamas. Existe também uma descrição de como Hamas transfere os donativos aos seus próprios armazéns, e distribui eles para apenas duas padarias na cidade - Albana Panificação e Al-Zalah União Panificação - pertencentes ao próprio grupo.

quarta-feira, janeiro 7

Propaganda do Hamas na TV Palestina antes da Operação israelense

Vemos aqui a propaganda do Hamas na TV palestina na semana anterior a operação israelense. Algo chocante!

Entenda o conflito

A famosa escola dos noticiários. Usada para lançamento de foguetes contra Israel

Bem gente, coloquei esse vídeo aqui ontem na parte da noite. Acho que 2hs desse novo post eu estava escutando a rádio israelense e escutei um detalhe que não saiu em lugar algum na mídia. Dizia o comandante dos soldados que foram até a Escola antes dela ser bombardeada: "Quando chegamos a escola fomos recebidos com tiros de metralhadoras dos terroristas do Hamas". Quer dizer, dentro da escola, tão falada pela mídia internacional este fato passa em branco. Além de ser uma base para lançamento de foguetes contra Israel a escola era usada tambem como "esconderijo" dos terroristas.

domingo, janeiro 4

ALGUNS CLICHÊS SOBRE ISRAEL QUE CERTAMENTE SERÃO USADOS "AD NAUSEUM" NOS PRÓXIMOS DIAS E QUE SÃO FALSOS:

Queridos leitores,
vocês perceberam que o molde do blog é: texto na ponta e no principal os vídeos.
mas vou abrir exceção aqui para este texto que achei muito bom escrito por Avraham Tsvi Beuthner


*O ataque de Israel à Gaza é "desproporcional"
Desde quando guerra é equação de matemática?Guerra é "causar o máximo de dano ao inimigo (se possível com um mínimo de casualidades em relação ao nosso lado), de modo que o inimigo seja derrotado e deixe de nos atacar".A guerra dos Estados Unidos contra o Iraque foi "proporcional" ? A invasão do Iraque ao Kwait foi? E a guerra da Rússia contra a Geórgia?Por outro lado, ser mais fraco não significa que você tem mais moral. Se você é fraco militarmente e por isso resolve ficar matando civis com ataques terroristas, homens-bomba ou com foguetes e mísseis, isto significa que você tem "razão" ou será que isto significa que você é, simplesmente, "um criminoso terrorista fraco e covarde"? Por que eles nunca atacam o exército, se estão "revoltados" com a "ocupação", justamente agora que não existe ocupação nenhuma em Gaza? Ou será que foram os civis que ocuparam Gaza? Bom, os civis israelenses já foram retirados de lá, certo? Só dá para explicar os ataques de Gaza contra Israel de um jeito: "crime e covardia".

*"Mas aqueles foguetinhos caseiros qassam não matam ninguém...."
Matam sim e já morreu muita gente. Mas mesmo se não matassem, imagine você vivendo na sua cidade em qualquer lugar do planeta, sabendo que a qualquer instante durante o dia ou a noite poderia ouvir uma sirene que te avisaria que daqui a QUINZE SEGUNDOS um míssil pode cair NA SUA CABEÇA — diria o que, que "qassam não mata"? Que é legal viver constantemente em perigo só por que estes foguetes são "ostensivamente" fabricações "caseiras"? Se os ladrões na sua vizinhança usassem facas ao invés de revólveres, você ficariamais tranqüilo?...Desde o CESSAR-FOGO de 2006 e de 2008 os árabes terroristas de Gaza seguem disparando milhares de foguetes qassam contra centenas de milhares de civis em dezenas de cidades no sul de Israel — vejam bem: civis! Nem mesmo a coragem de atirar em alvos militares eles tiveram! São 5 a 10 foguetes na sua cabeça POR DIA — COM CESSAR-FOGO, e uns 50-60 sem... Imagine como uns 50 a 60 qassams por dia já destruíram as vidas e a saúde de centenas de pessoas, se não de milhares. Pessoas que corajosamente insistem em continuar vivendo nas suas cidades apesar das ameaças terroristas por que esta é a sua terra, a terra bíblica de seus ancestrais.

*A causa de tudo é o cerco de Israel a Gaza. Israel deveria permitir a entrada de ajuda humanitária a Gaza.
Que cerco, se eles seguem recebendo ajuda humanitária INCLUSIVE AGORA durante esta guerra? Que país em plena guerra abriria suas fronteiras para mandar ajuda humanitária ao seu inimigo? São mais de 100 caminhões de provisões por dia! Até mesmo árabes e terroristas feridos na Faixa de Gaza foram transferidos do hospital Shifa, em Gaza, para o Hospital Barzilai, em Ashkelon, Israel, para serem tratados, enquanto a própria cidade de Ashkelon está sendo bombardeada pelos mísseis Grad e por katyushas disparados de Gaza!
Se o governo terrorista do Hamas, em Gaza, rouba estes caminhões, se o Egito fecha a sua fronteira para a população de Gaza, a culpa é de Israel? Se os túneis subterrâneos que ligam Gaza ao Egito e por onde se contrabandeia artigos de "luxo" (como motocicletas, televisores, ipods, iphones, etc.), comida, remédios, drogas, mísseis, armamentos, veículos militares, etc., seguem funcionando normalmente (os que não foram bombardeados, pois são centenas de túneis) — dá para falar em "escassez" ou em "crise humanitária"?O pessoal de Gaza tem muito mais alimentos e remédios que muita gente no nordeste do Brasil ou em dezenas de países na África!

*Por que Israel simplesmente não volta a fazer um "cessar-fogo" com Gaza?*Voltar a fazer um "cessar-fogo" ?
Que cessar-fogo, se durante o "pretenso" cessar-fogo dos últimos seis meses, a cidade israelense de Sderot foi bombardeada com foguetes e qassams TODO DIA (só que ao invés de 20 foguetes por dia, foram só uns 5-10...)? O único problema é que cinco a dez foguetes por dia em Sderot não dá notícia em jornal nenhum do mundo... Ninguém liga para estas coisas.Agora, neste caso, por mais que Israel queira viver em paz, quem declarou o fim da paz (do cessar-fogo) em 19 de dezembro passado, foi o governo terrorista do Hamas em Gaza, não Israel. Até o Egito e outros países árabes declararam que a culpa de tudo, pelo menos desta vez, é do Hamas que intensificou seus ataques covardes contra civis em Israel.

*Mas o governo do Hamas não é "terrorista" . Ele foi eleito democraticamente!*
É verdade. Houveram eleições e eles ganharam o governo junto com o Fatah, para governar um país que ainda não existe. Eles deveriam governar a "Autoridade Palestina", que seria algo como uma "província" autônoma de Israel... Não só a comida, como até o dinheiro que eles usam lá, vem de Israel. Antes de expulsarem os judeus que viviam lá, a Faixa de Gaza EXPORTAVA comida para a Europa e Estados Unidos. Todas as fazendas e estufas que os judeus lá construíram continuam lá, só que hoje não produzem mais nada (exceto morangos, se não me engano). Tudo virou campo de treinamento militar para grupos terroristas e lançamentos de foguetes contra Israel.Voltando agora ao governo eleito democraticamente:
Após as eleições, o Hamas fez um "golpe de estado" e "roubou" a Faixa de Gaza do Fatah. Como assim? Hamas tinha maioria no governo eleito e o Fatah era o segundo maior partido eleito, com vários cargos eleitos, parlamentares, força policial, funcionários públicos etc. O que fez o Hamas? Assassinou friamente membros do Fatah jogando-os de prédios de vários andares, fuzilando famílias de membros e simpatizantes do Fatah e perseguindo- os, até que tomou conta da Faixa de Gaza e, junto com outros grupos terroristas, seguem atingindo civis (árabes e judeus) inocentes em Israel. Agora me diga: isto é democracia?

*"Mas Israel está atingindo propositadamente os civis em Gaza!"
Vamos entender melhor esta pergunta:Você quer dizer que Israel está fazendo um bombardeio maciço "no lugar mais densamente povoado de todo o planeta" há alguns dias, destruindo algumas centenas de alvos estritamente militares, jogando centenas de bombas em Gaza e, de acordo com a ONU e fontes de Gaza, só matou cerca de 50 civis? Que, de acordo com a ONU e fontes de Gaza, 97% dos mortos eram militares terroristas e não civis?Se você ainda acha que Israel tem como objetivo atingir os civis, neste caso você só pode tirar duas conclusões:
1) Se 97% dos atingidos são militares, Israel não pretende atingir os civis.
2) Se o objetivo eram os civis, os pilotos de Israel não sabem atirar direito...

Acho que a opção 1 me parece mais lógica, não? Agora eu lhe pergunto: o site do exército de Israel divulgou todos os alvos atingidos, que incluíam campos de treinamento militar e locais de armazenamento de munições e explosivos. O que é que os civis estavam fazendo perto de locais tão perigosos? Ou melhor: por que será que o Hamas armazena seus explosivos em mesquitas e escolas públicas e treina seus militares no meio de áreas civis? Por que será que Israel, antes de bombardear estas áreas, tem que jogar avisos por escrito e pelos meios de comunicação para os eventuais civis evacuarem a área?

E por fim: Por que os jornais estão mostrando fotos de crianças mortas em outras ocasiões e locais que não tem absolutamente nada a ver com esta guerra (como as fotos das crianças do necrotério de Jabalia que apareceu n"O Globo")? Para insinuar que Israel está matando civis de propósito?